Caligrafia para relaxar #4

Bullet journal, lettering

Olá! Depois de um tempo sumida daqui (por favor, não desistam de mim) voltei com mais um post sobre meu avanço nas lições do livro Caligrafia para Relaxar – Amy Latta. Hoje vou falar sobre as lições 12 a 16, se você ainda não viu e quiser ler os outros é só clicar no link do post que vou colocar aqui: Caligrafia para relaxar #1, Caligrafia para relaxar #2 e Caligrafia para relaxar #3.

Então vamos começar… Na lição 12 aprendemos a misturar as cores, a autora indica a Tombow, mas você também pode usar outras canetas a base de água. São dois os métodos que podemos utilizar – O primeiro é o que usamos a tinta como uma paleta de pintura, para isso basta colocar a tinta em uma superfície plástica, a tinta não seca e você pode usar como se fosse um godê, aí coloca a cor mais escura nessa superfície e passe a ponta de uma caneta mais clara na tinta. Pronto… agora é só escrever.

O outro método é mais complicado, pelo menos para mim, e também é necessário ter uma caneta blender (é uma caneta misturadora específica para mesclar os tons). Ele funciona assim: escreve a palavra com uma cor mais clara, aí em algumas partes acrescenta uma cor mais escura, após use a caneta blender para mesclar as cores e deixar um efeito natural, o resultado fica lindo, mas cuidado com o papel que você vai usar, pois como é um tipo de arte molhada ele pode furar.

Abaixo coloco as fotos das canetas que testei com esses métodos e que deram certo.

E finalmente a frase que escrevi usando o primeiro método… usei a caneta Koi nas cores Lavander e Lilac (aquelas da foto aí em cima) para dar o efeito na palavra BELEZA.

No capítulo 13 a proposta é misturar fontes como um profissional, as dicas que a autora dá são para misturar dois a três tipos de letras, mais que isso vai ficar muito poluído. As outras dicas são ideias de qual formatos misturar… Aí são sugestões e cada um prefere a seu jeito. Abaixo minha frase… não gostei o efeito da caneta pincel, a página do livro tem papel poroso e absorve a tinta.

No capítulo 14 a ideia é a de acrescentar molduras e cantos a arte final, confesso que acho esses capítulos meio enrolação, pois daria para colocar todos esses elementos em um único capítulo. Outra coisa que também não entendo é que a moldura fica desnecessária, pois o livro já traz uma moldura para escrevermos a frase, então se colocarmos mais coisas fica pesado e traz a sensação de poluição visual.

Mas achei muito fofa essa margem todinha em grãos de café… então você ja sabe, essa margem e os desenhos já vem no livro, eu só pintei.

O capítulo 15 traz a mesma proposta do capítulo 14, ou seja, nada de técnica de caligrafia ou lettering, o título é divirta-se com floreios… floreios em curvas, floreios sobrepostos e floreios em letras. E mais uma vez não foi possível usar os floreios na arte final, pois já tem muita coisa na margem, então usei nas letras.

O capítulo 16 traz uma nova opção de alfabeto para usarmos e achei ele bem legal, ficou com o visual bem bonitinho… a autora chama de alfabeto de bolinhas e traz o exemplo de todas as letras, maiúsculas e minúsculas, mas ele consiste basicamente em colocar uma bolinha em cada lugar de junção da letra, assim fica bem charmoso. Ah! Na letra O basta colocar a bolinha na parte superior, que seria o encontro das linhas e no final de cada uma. Abaixo você pode ver melhor como fica bonito.

Bem… essas foram as lições que eu já conclui no livro, algumas foram bem rápidas de fazer e outras eu demorei mais para executar a técnica com mais habilidade. Espero que tenham gostado…

Em breve trago mais um pouquinho da minha evolução com o livro Caligrafia para relaxar, também vai ter post sobre fotografia e as cinco coisas que… Um abraço.

Meu caderno preferido para Bujo

Bullet journal

quem acompanha meu instagram sabe que todo domingo publico meu spread semanal e aí muitas pessoas me perguntam qual o caderno que uso para meu bullet journal, então resolvi falar sobre esse tema hoje e vou falar um pouquinho sobre três modelos que eu usei e/ou uso e dizer qual o meu preferido para usar no meu dia a dia.

Leutchtturm1917: o caderno possui canto arredondado, 249 páginas numeradas que podem ser pautadas, quadriculadas, pontilhadas ou em branco, as últimas 8 folhas são destacáveis, tem um envelope reforçado, seu fechamento é por elástico, o papel é acid free com gramatura de 80g/m² e suas dimensões de 145mm (l) x 210mm (a) x 1,9mm (e), além de ter 3 páginas reservadas para o índice e duas fitas marcadoras de página na cor da capa, que pode ser dura ou flexível e o peso é 410g.

está disponível em 17 opções de cores para você escolher a que mais gosta ou usar uma para cada vez que começar um novo bujo. no Brasil só encontrei no Mercado livre e o valor é bem salgado, cerca de R$160,00, mas comprei pelo eBay e foi bem mais em conta, US$20,00.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho excelente – como pode ver na foto – usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel e dessas apenas essa última vazou um pouquinho para a outra página.

Cícero: possui uma linha específica para bullet journal que possui cantos arredondados, 160 páginas quadriculadas e pontilhadas, mas tem outras linhas com as versões pautadas e em branco também, tem um envelope reforçado, seu fechamento é por elástico, o papel é pólen com gramatura de 80g/m². dimensões 140mm (l)  x 210mm (a) x 14mm (e) e uma fita marcadora na cor da capa e o peso é 317g.

acho que tem poucas cores para as versões pontilhadas e quadriculadas, a pontilhada está disponível nas cores preta, turquesa e floral e a quadriculada nas cores preta e roxa. quando comecei a usar o método eu comecei usando o caderno da Cícero com folhas quadriculadas, na cor preta.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho médio – ver na foto – pois muitas canetas vazaram para a outra página,  usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel também. O preço é cerca de R$65,00.

A.Craft: aqui nesse sistema não é um caderno, mas um capa de couro sintético, flexível e que possui quatro elásticos para encaixar os blocos e é deles que vou falar. As capas tem variedade de cores e até mesmo estampas, os elásticos combinam com as cores, harmonizando perfeitamente. dimensão de 150mm (l) x 210mm (a). os blocos estão disponíveis em folhas pontilhadas, quadriculadas, pautadas ou em branco com 72 páginas, miolo em papel avena (amarelo) com gramatura de 90g/m² e capa em papel kraft. depois de montar meu bujo todo (a capa e os 4 blocos pontilhados) ele ficou com 40mm (e) e 510g.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho excelente – como pode ver na foto – usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel e dessas apenas a Satabilo Boss e algumas sakura gel vazaram um pouquinho para a outra página. O preço final do conjunto foi R$80,00, mas tem a vantagem de manter a capa e trocar apenas os blocos, por esse motivo preferi separar minhas coleções de livros, filmes, séries e meus cafés especiais nesse sistema.

depois de tudo que falei  aqui o meu caderno preferido para usar no dia a dia é o Leuchtturm1917, pois é mais leve, tem excelente qualidade da folha, o que permite que eu use várias canetas que gosto sem me preocupar se vou estragar o verso da folha. deixo aqui alguns spreads que fiz nesse caderno, você pode conferir mais no meu instagram.

 

mas também gostei muitos dos bloco da A.craft para ter em casa e fazer minhas coleções separadas – depois vou postar aqui como ficaram, afinal de contas ficava triste em ter que deixar minha estante de livros para trás cada vez que mudava de caderno.

legenda: (l) = largura / (a) = altura / (e) = espessura